HACKSUS – Maratona de boas ideias para desenvolvimento de AVA Integrador

HACKSUS – Maratona de boas ideias para desenvolvimento de AVA Integrador

HACKSUS – Maratona de boas ideias para desenvolvimento de AVA Integrador

A maratona hacker elaborada pelo Ministério da Saúde e pelo SUS está bastante documentado em sua dinâmica na página: https://ajuda.atencaobasica.org.br/hacksus/ .

O evento foi organizado pelo Ministério da Saúde em parceria com o Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde (LAIS) da UFRN, e aconteceu entre os dias 12 a 14 de julho, no Hotel Praiamar, em Natal.

A proposta foi a realização de uma maratona com média de 48h de tempestade de ideias, reunindo profissionais de diversas áreas.  Foi um evento bastante transdisciplinar (destaque muito bem observado para a formação dos grupos). O foco do HACKASUS foi desenvolver uma sugestão para uma plataforma web (um sistema integrador com funcionalidades de um AVA – Ambiente Virtual de Aprendizagem), além de apresentar propostas pedagógicas para ofertas educacionais direcionadas para os trabalhadores do Sistema Único de Saúde (SUS). As premissas básicas desse sistema eram permitir ao participante a auto construção de seu processo de formação, ou seja a montagem personalizada de trilhas de aprendizagem, assim como o uso individual de módulos de formação, além de sempre integrar a proposta de formação à aplicação prática desses conhecimentos adquiridos no território, relatando vivências e experiências práticas da aplicação desses conhecimento.

Durante o evento registrei algumas falas do Felipe Cavalcanti, coordenador-geral de estratégias da educação na saúde do Ministério da Saúde que indicou: “Estamos fazendo uma maratona, onde existem cinco grupos trabalhando paralelamente, com uma lógica competitiva. Todos os grupos são compostos por pessoas das áreas da saúde, educação, tecnologia da informação e da comunicação. E cada grupo vai seguir o desafio de apresentar um protótipo de um ambiente virtual de aprendizagem voltado para o SUS”.

A proposta do evento (HackaSUS) buscou inspiração nos Hackathons da área de Tecnologia ou Software Livre. Esses eventos são maratonas que agrupam programadores e outros profissionais ligados ao desenvolvimento de software, com finalidade de criar projetos inovadores, onde percebe-se a característica da descontração, dispensando certas formalidades, mas mantém o foco no desafio e na inovação.

A dinâmica do evento indicava que o grupo que apresentasse a melhor proposta, considerando alguns aspectos avaliativos seria o vencedor. Propositalmente, nem todos os aspectos de avaliação foram claramente divulgados aos grupos durante a execução do evento. A proposta era verificar que grupos conseguiriam atingir outros aspectos avaliativos definidos. O grupo vencedor receberia financiamento do Ministério da Saúde para participar do VII Congresso Internacional de Ambientes Virtuais de Aprendizagem Adaptativos e Acessivos (CAVA 2015) que irá acontecer em setembro em Novo Hamburgo, Rio Grande do Sul.

De acordo com a organização a escolha da cidade de Natal para sediar o HACKASUS deve-se a grande proximidade entre a Universidade Federal do Rio Grande do Norte, através do LAIS, com o Ministério da Saúde. Essa facilidade foi apresentada pelo Coordenador Felipe durante o evento afirmando que: “O Ministério da Saúde tem uma parceria importante com a UFRN em várias frentes, e uma das frentes é justamente o desenvolvimento deste ambiente virtual de aprendizagem, dessa plataforma, que vai ser o ambiente que vai acolher os diversos modos educacionais que as universidades vinculadas a UNASUS (Universidade Aberta do SUS) ou não estão produzindo para a educação permanente dos profissionais”.

Fotos do Evento

A plataforma participa.br, uma rede social que aplica metodologias de participação digital foi apresentada no evento aos cinco grupos participantes, em uma estratégia de conhecimento “coringa” destacando as TRILHAS de participação social. A apresentação foi feita como um recurso adicional que os grupos dispunham para contribuir com conceitos que transpunham a participação social digital para a participação digital na educação com o conceito de TRILHAS DE APRENDIZAGEM e como uma rede social poderia ser o sistema agregador das informações de participação, interações, gestão, remix e organização do conhecimento, além de propiciar o uso de metodologias e ferramentas de debate, deliberação, discussão e construção colaborativa de conhecimento apoiadas ao perfil do integrante da rede e da sua timeline como agregador e potencializador de interações entre os usuários da rede e de suas comunidade e sistemas integrados.

Durante o evento articulamos uma agenda de integração do participa.br como ferramenta de colaboração e instrumental para promover a participação social nas ações do SUS e do Ministério da Saúde. Esta agenda pretende mais especificamente pensar a utilização do participa.br como uma plataforma web para fomentar e agregar novas estratégias para a participação social na saúde, inclusive, pensando na conferência nacional de saúde que será realizada em dezembro de 2015.

A minha participação, como representante do participa.br, foi em ser um “coringa do participa.br” aos grupos compartilhando nossas experiências de participação digital, rede social e trilhas. Atuei ainda como avaliador ao final do evento. Como membro da comissão julgadora e frente a tão bons resultados decidimos não mais premiar apenas um grupo. Cada grupos teve duas de suas melhores ideias premiadas ( https://pad.okfn.org/p/hacksuspremios ) .

Fotos da cartolina de ideias do participa.br

O evento contou com sistema de avaliação e feedback de acompanhamento da evolução dos produtos de cada grupo desenvolvido pelo LAIS da UFRN ( http://rhsus.ufrn.br/hacksus/index.php ). O sistema permitia acompanhar o Planejamento, o Desenvolvimento e a Prototipagem da ideia proposta por cada grupo ao vivo em um telão. Na tela ao vivo que informava a evolução de cada grupo havia  um contador regressivo de tempo que informava o tempo restante para realização das atividades. A avaliação no sistema foi quantitativa e qualitativa, contando com um item chamado “eureka” para o maior nível de evolução de um quesito avaliado.

hacksus_final1.jpg

Foto do sistema de acompanhamento de grupos no hackaton!

Assim, como surpresa final do evento, a organização relatou que todos os participantes foram premiados! Todos serão convidados (por conta do Ministério da Saúde) a participar da segunda edição do HACKSUS para consolidar “o melhor de todos os grupos” em uma proposta única para o evento.

A participação no evento foi fantástica. Foi uma dinâmica muito bem elaborada e organizada. Obtive a vivência e o aprendizado de como organizar e conduzir um hackaton que promoveu competição entre os grupos e mesmo assim conseguiu contar com alto nível de colaboração. Foi realmente fantástico. Aguardo a segunda edição.

Referências:
https://cursos.atencaobasica.org.br

Deixe uma resposta